terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Eu, em tempos dinossáuricos...



Nesta foto e segundo a senhora minha mãe porque eu, por mais voltas que dê à alembradura não me consigo recordar, andaria pela singela idade de 18 meses.
A minha mãe - senhora de farta cabeleira - sofria, ora silenciosa, ora não, mas sempre desesperadamente, pelo facto de o seu riquinho e único bebé sofrer de um mal de difícil ou mesmo nula resolução, comummente chamado despovoamento capilar.
Eu, desconhecedora do porvir (e da melena subsequente) entretinha-me, despercebidamente, a dar cabo do pato de borracha, mientras miraba con mirada de ángel a mi madre.
Não sei se a ideia foi minha ou da minha excelsa madre, mas, como podeis reparar, trajava já um vestidinho de folhos, quizás uma antecipação convicta do meu futuro profissional de sevillana ferrenha.
Hasta siempre, guapos!

4 comentários:

AVOGI disse...

credo!!! que pequena magra!! credo nao comias???
kis :=)

Calendas disse...

Compenso agora, AVogi

maria teresa disse...

Como eras púdica...vim numa correria louca para ver uma nua e encontro uma vestida até ao pescoço:):):) Com meias altas e tudo!!!
Tinhas (e tens) uns olhos muito expressivos...quanto ao cabelo agora está muito mais compostinho, até tenho inveja dele...
Não és muito destas coisas mas vou-te enviar um enorme abraço (ora toma!)

Carapau disse...

Publicidade enganosa é o que é. Ainda estou a arfar de vir a correr ver o material em exposição e chego aqui e encontro uma miúda já com ares de quem viria a ser, mais tarde, Madre Superiora. A própria vestimenta é já um hábito de monja.
Fui enganado. :-)